18º Aniversário de CARDI. Cidade do México. Abril 2024.

No dia 16 de março, a Família Agostiniana-Recoleta comemorou os 18 anos de seu projeto sócio sanitário na Cidade do México. Participaram deste feliz aniversário membros da sociedade e da Igreja local, voluntários, benfeitores, beneficiários, facilitadores, terapeutas e colaboradores.

Por volta do meio dia do sábado, 16 de março, iniciou a Celebração Eucarística de agradecimento pelos 18 anos da fundação do CARDI, que foi presidida pelo bispo agostiniano recoleto Francisco Javier Acero, auxiliar da arquidiocese de México y que durante muito tempo esteve diretamente envolvido neste projeto.

O vigário para o México e Costa Rica da Província de San Nicolás de Tolentino dos Agostinianos Recoletos, Martín Luengo, e o atual diretor do CARDI, o Agostiniano Recoleto Refugio González, serviram de anfitriões para aqueles que queriam celebrar e agradecer esta história de solidariedade, atendendo e servindo os doentes e seus familiares que chegam, de todas as partes do país, às especialidades e terapias nos hospitais públicos da Cidade do México.

Estiveram presentes na celebração até oito sacerdotes agostinianos recoletos e mais dois sacerdotes diocesanos, na qual o bispo definiu o momento como um “sonho realizado”. Lembrou que é um projeto em que muitos se esforçaram, contribuindo com tempo, recursos, incentivo, profissionalismo e muita solidariedade.

A voluntária Lupita Galindo trabalha no CARDI desde a sua criação. Com o seu testemunho neste aniversário quis recordar histórias e momentos que marcaram a sua vida e incentivou o seu compromisso com os beneficiários, porque a sua vulnerabilidade transforma para melhor aqueles que vêm apoiá-los e cuidar deles.

Hoje alguns beneficiários lembram uma frase que é muito motivadora para todos aqueles que conseguiram colocar em andamento este projeto da Família Agostiniana-Recoleta:Quando chego ao CARDI, sinto como se estivesse chegando em casa”, dizem.

Muitos beneficiários viram no CARDI a melhora de seus familiares pacientes, outros, sua partida definitiva e receberam consolo… Mas em todos os casos há luta, esperança, tentativas de melhora, esforço dos profissionais, familiares e dos próprios pacientes.

Longe de suas casas, o CARDI é aquele espaço onde podem recuperar as forças, encontrar descanso, purificar-se, conversar, clarear a mente, um espaço de humanidade dentro da grande cidade, quase desumano e normalmente indiferente a quem não lhe pertence.

Um almoço fraterno e música ao vivo do grupo Azteca de Oro completaram a celebração do 18º aniversário para todos: o carisma agostiniano recoleto se torna cotidiano no CARDI e em tantos outros projetos sociais desta Família que ali quer semear dignidade, vida e esperança ali onde se encontra.