Ó Raiz!

Na semana anterior ao Natal toda a liturgia é orientada para preparar com ênfase a chegada do nascimento de Cristo. As antífonas que introduzem o Magnificat nas Vésperas recordam um título especial de Cristo. Hoje, dia 19, Raiz.

“Ô Raiz do tronco de Jessé, que se levanta como um sinal para os povos, diante de quem os reis se calam e cuja ajuda as nações imploram, vem e livra-nos, não demores mais.”

Senhor, Jesus, que enobreceste a linhagem humana partilhando o sangue e a história na linhagem de David, tu és um sinal de esperança para todos os povos.

Tu es a força que une todos os povos, culturas e famílias, reconhecendo que temos a mesma origem e o mesmo fim. Tu nos tornaste a todos família e filhos da Igreja pelo Batismo, como nos recordam as palavras do Concílio Vaticano II:

“Foi a vontade de Deus santificar e salvar os homens, não isoladamente, sem qualquer ligação uns com os outros, mas constituindo um povo, que o confessasse na verdade e o servisse santamente” (LG 9).

Neste kairós da Igreja, convidai-nos a caminhar juntos, a escutar-nos e a dialogar, a rezar, a refletir… com “os vossos companheiros de viagem”. Caminhantes, lado a lado, somos mensageiros de esperança para todos os povos.

Dê-nos a luz do seu Espírito para “fazer germinar os sonhos, suscitar profecias e visões, fazer florescer as esperanças, estimular a confiança, curar feridas, tecer relacionamentos, suscitar uma aurora de esperança, aprender uns com os outros e criar um imaginário positivo que ilumine as mentes , endireite os corações e de força às mãos” (Para uma Igreja Sinodal 32).

Vem, Jesus, nossa esperança, não demores mais!