O seminário deu vida e foi, com o tempo, o lugar onde surgiram as pessoas que evitaram o fim ruinoso da missão e seu renascimento depois de décadas de impedimento legal.

As missões, projetos sociais e ações solidárias são uma constante na ação da Família Agostiniana Recoleta. A Província de São Nicolau de Tolentino sempre viveu em missão, desde seu nascimento motivado pela abertura das primeiras missões de evangelização nas Filipinas no século XVII. Desde então, tem exercido sua atividade evangelizadora seguindo o mandato de Jesus nos lugares hoje chamados de “fronteira”: ali onde é necessário defender a dignidade da vida humana, a justiça social, a igualdade de oportunidades, a defesa dos mais vulneráveis.

A situação política e social do país se assentou e permitiu aos missionários trabalhar com tranquilidade e continuidade. Um dos pontos altos desta consolidação será o seminário fundado em 1929. Em 1931 se constrói um edifício para este fim. José Shan, ordenado em 1938, é seu primeiro fruto, de um total de 17 chineses que professaram na Ordem. Também teve um grande número de vocações femininas as Catequistas de Cristo Rei e as Missionárias Agostinianas Recoletas.

A primeira ocupação dos religiosos ao chegar às vilas, era comprovar o nível de catequização, celebrar os sacramentos e orar com os cristãos. Até a seguinte visita do sacerdote, que tardava muito tempo, a comunidade ficava na responsabilidade do catequista; seu papel era imprescindível. Ajudavam o religioso a entender-se com o povo, explicavam os costumes e a situação das pessoas, mantinham, educavam e animavam a fé dos fiéis. Apoiavam as mulheres.

No dia 30 de janeiro de 1933 se inaugura a escola de catequistas. Seu diretor, Sabino Elizondo, é ajudado por um professor, antigo seminarista. Estudavam três anos de doutrina católica e de literatura china, e obtinham um diploma. Funcionou até 1941, onde as dificuldades financeiras obrigaram a fechá-la.

Ochoa pensava fundar uma congregação de religiosas que ajudasse aos missionários. Mas para formar e instruir as jovens vocacionadas, acha necessário contar com irmãs com vários anos de profissão. Investiga o espírito missionário dos conventos de clausura de Agostinianas Recoletas na Espanha. Três delas, mais uma filipina, chegaram a Kweiteh no dia 19 de maio de 1931. Serão as fundadoras das Missionárias Agostinianas Recoletas.

Da escola de catequistas nasce outra congregação de direito diocesano, as Catequistas de Cristo Rei, uma congregação autóctone que chegou a ter umas vinte integrantes. Em 1952, ao ser expulso da missão o bispo e os últimos recoletos estrangeiros, se dispensou de seus votos a estas religiosas, obrigadas pelo governo a voltar para suas casas.

Por todo este trabalho, a Santa Sé chegou a propor Kweiteh como modelo de missão. Mas tudo se trunca em 1937 com a invasão japonesa. A guerra afundou na pobreza e ruína a todas as cidades do vicariato. Desde este momento se alastra sobre a missão uma tormenta que acabará com tudo.

PÁGINA SEGUINTE: e. Terceira etapa (1938-1952)


ÍNDICE DE PÁGINAS: MISSÕES