Nesta seção “Nós” apresentamos uma breve história da Ordem dos Agostinianos Recoletos, uma história mais completa da Província de São Nicolau de Tolentino e algumas das principais características de nossa espiritualidade, carisma e de nosso padroeiro, são Nicolau de Tolentino.

A Recoleção Agostiniana surgiu de uma compreensão da vida agostiniana, que aprofunda suas raízes na reforma do Concílio de Trento e na ânsia de viver uma vida mais perfeita. Entre 1540 e 1588 foram aparecendo, entre os Agostinianos espanhóis, desejos de implantar em sua Ordem os ideais que estavam transformando a estrutura espiritual e institucional de outras. Tomé de Jesus, juntamente com os primeiros missionários do México, foram os principais representantes.

Após várias tentativas sem resultados, este sonho, sendo impulsionado por Jerônimo de Guevara e Luis de Leão e favorecido por Filipe II, começou a se fazer realidade em 1588. No dia 5 de dezembro, o capítulo provincial de Castela, reunindo-se em Toledo, sob a presidência do cardeal Gregório Petrocchini, geral da ordem, mandou erigir na província “três ou mais mosteiros masculinos e outros tantos femininos, nos quais fosse adotada uma forma de vida mais austera, a que, após madura reflexão, o nosso padre provincial a regulamentasse com o seu definitório”.

No dia 20 de setembro de 1589 o conselho provincial aprovou sua Forma de vida, redigida por frei Luis de Leão. Seus 14 capítulos giram em torno do espírito de oração, da igualdade que deve reinar entre todos os religiosos e da ascese.

Um mês mais tarde, no dia 19 de outubro, se instalava no convento de Talavera da Rainha (Toledo) a primeira comunidade recoleta. Composta por oito religiosos dirigidos por Francisco Briones e José da Parada. Sua vida era pobre, austera e totalmente dedicada a Deus. A boa harmonia entre calçados e descalços facilitou a imediata fundação de novos conventos nos povoados do Portilho (maio de 1590) e Nava do Rei (junho de 1591), em Valladolid (Espanha).

Tensões muito compreensíveis com os superiores da província frearam a caminhada dos recoletos, mas não conseguiram detê-la. Em 1596 se estabelecem em Madri, onde não tardariam em construir sua sede central; e em 1600, no Toboso. Dois anos mais tarde, Roma formava com seus cinco conventos uma província dedicada a Santo Agostinho.

A confirmação romana reavivou as esperanças dos recoletos. Com o apoio dos fiéis, consolidaram sua presença em Castela e começaram a se interessar por outras regiões da Espanha. Ano após ano, vão dando vida a novos conventos em Aragão, Castela, Catalunha, Estremadura, Valencia, A Mancha e Andaluzia. Em 1619 se estabeleceram em Roma.

Simultaneamente organizam o noviciado e os próprios estudos, e seus ideais cruzam os oceanos. No ano de 1604 os primeiros recoletos americanos iniciam suas andanças em torno da capela colombiana da Candelária. No ano seguinte os espanhóis se associam à vanguarda missionária da Igreja, partindo para as distantes terras das Filipinas.

SEGUINTE PÁGINA: 1. Difusão e consolidação